Ar, oxigênio, nitrogênio e argônio-hidrogênio: qual gás escolher para o corte a plasma?

Ar, oxigênio, nitrogênio e argônio-hidrogênio: qual gás escolher para o corte a plasma?

O corte a plasma é um processo usa um gás ionizado, ativo ou inerte, como meio de condução elétrica do jato de plasma sob a superfície a ser cortada, seja aço inoxidável, carbono ou alumínio.

Entre os sistemas do corte estão a possibilidade do multigás ou duplo gás, o que significa que diversos gases de plasma e proteção podem ser utilizados, em conjunto, visando uma pluralidade de aplicações.

Mas, antes do processo, existe uma seleção de gases, a qual baseia-se na qualidade e velocidade pretendida pelo corte, bem como depende da espessura do metal a ser cortado.

Entre os gases mais comuns estão o ar, oxigênio, nitrogênio e argônio-hidrogênio. A seguir, confira as especificações de cada um:

Ar

Este é o gás mais versátil do segmento – por isso é muito utilizado em oficinas -, pois ele proporciona velocidade e qualidade no corte a plasma do aço carbono, inoxidável e alumínio.

Apesar de diminuir o custo da operação, o gás não é gratuito, pois é necessário “limpar” o gás comprimido. Neste caso, a melhor solução é adquirir um compressor de ar bem dimensionado, um secador refrigerado e um banco de filtros para retirar as partículas.

Oxigênio

O corte a plasma baseado no oxigênio tornou-se padrão na indústria do aço carbono, principalmente porque oferece a melhor qualidade e maior velocidade durante o corte. Porém, o oxigênio não é recomendado para uso em aços inoxidáveis e alumínio em função do alto custo (esses materiais são mais “fáceis de serem cortados, portanto, não precisam de tanto investimento) e por reduzir a vida útil dos consumíveis com mais rapidez.

Nitrogênio

O nitrogênio foi o gás utilizado logo após o surgimento do gás a plasma e, até hoje, é excelente para ser aplicado em cortes de aço inox e alumínio. Isso acontece porque a qualidade e velocidade excelente do sistema se une à vida longa do consumível.

Argônio-hidrogênio

Este gás é indicado para cortes de aço inoxidável e alumínio espesso – acima de ½ polegada -, pois a mistura de 65% de argônio e 35% de hidrogênio garante um plasma mais quente e, consequentemente, faz com que a máquina atinja a capacidade máxima de corte.

Por fim, a melhor resposta para finalizar este conteúdo é: depende. Antes da escolha do gás, leve em considerações os principais aspectos como qualidade do corte, produtividade e economia.

A Megaplasma, empresa que exala qualidade, confiança e flexibilidade, conta com a expertise necessária para, junto ao cliente, decidir qual o melhor gás a ser aplicado. Faça um negócio assertivo, solicite um orçamento junto à Megaplasma!

Deixe um comentário

Agradecemos seu interesse!

Precisamos de alguns dados