Blog | Diferenças do corte a plasma para o oxicorte
AnyConv.com__AnyConv.com__A-85 (1)
AnyConv.com__AnyConv.com__banner-com-as-3-maquinas-scaled (1)
AnyConv.com__AnyConv.com__banner-050501 (1)
AnyConv.com__AnyConv.com__banner-0101 (1)
previous arrow
next arrow

Diferenças do corte a plasma para o oxicorte

O processo de corte é uma etapa crucial em muitas indústrias, desempenhando um papel fundamental na fabricação de peças e estruturas metálicas. Entre as diversas técnicas disponíveis, o corte a plasma e o oxicorte são dois métodos amplamente utilizados, cada um com características distintas que influenciam sua aplicação em diferentes contextos.

Questão do Gás 

O oxicorte é uma técnica tradicional que utiliza oxigênio puro ou uma mistura de oxigênio e gás combustível para realizar o corte. O princípio por trás desse método é a combinação do oxigênio com o material a ser cortado, resultando na formação de óxidos metálicos que são soprados pela corrente de oxigênio. Esse processo é eficaz para cortar aços carbono, tornando-o uma escolha comum em aplicações industriais.

Por outro lado, o corte a plasma é uma tecnologia mais moderna que envolve a passagem de um gás ionizado através de um bocal plasma condutor. O gás é aquecido a temperaturas extremamente elevadas, formando um plasma capaz de derreter o material de trabalho. 

O plasma, composto por elétrons e íons, é direcionado para o metal a ser cortado, removendo-o em alta velocidade. Essa abordagem é particularmente eficaz para cortar metais condutores, como alumínio e aço inoxidável, proporcionando maior precisão e velocidade em comparação com o oxicorte.

Temperatura 

Uma das principais diferenças entre essas técnicas é a temperatura de operação. Enquanto o oxicorte atua em altas temperaturas, o corte a plasma opera a temperaturas ainda mais elevadas, alcançando até 30.000 graus Celsius. Essa diferença térmica resulta em distintas características nos cortes produzidos. 

O oxicorte, por aquecer o material até o ponto de ignição, através da tocha plasma, cria bordas escoriadas e zonas afetadas pelo calor mais extensas. Em contraste, o corte a plasma, devido à sua alta temperatura e foco preciso, produz cortes mais limpos e bordas mais suaves, reduzindo a necessidade de acabamento adicional.

Espessura 

Outro fator a ser considerado é a espessura do material que pode ser cortado eficientemente. O oxicorte é adequado para peças mais espessas, enquanto o corte a plasma brilha em materiais de menor espessura. A capacidade de perfuração também é uma área em que o corte a plasma se destaca, permitindo a criação de orifícios precisos em diversos metais.

Portabilidade 

Além disso, a portabilidade é uma consideração importante. O oxicorte frequentemente exige cilindros de gás volumosos, tornando-o menos flexível em ambientes de trabalho móveis. Por outro lado, os sistemas de corte a plasma são mais compactos e leves, facilitando sua utilização em locais remotos ou em operações que exigem mobilidade.

Confira nossos produtos

Agradecemos seu interesse!

Precisamos de alguns dados